quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

NATAL: VIDA RENOVADA

Natal, esperança acesa
Da vida em ressurgimento,
Pelo esplendor desse amor
Num grande acontecimento.
Diga não pra exaltação,
Consumismo, ostentação,
Presentes neste momento!

PedrO MonteirO

NATAL

















Nestes meus singelos versos
Eu quero lhe desejar
Feliz natal com estrelas
Que não cessem de brilhar,
No esplendor do divino,
Pela face do menino
Mil razões para amar.
Na esperança contida
Em cada ressurgimento
Da divina estrela guia
No alto do firmamento
E um anjo anunciando
Nosso Salvador chegando
Num grande acontecimento.
Se esta data é precisa
Não é o mais importante,
Já a transformação feita
No mundo foi relevante,
E o bem precioso é
Seu testemunho de fé
Pela prática doravante.
Por isso mesmo, avance,
Seja mais um voluntário
Na descoberta das curvas
Do caminho solidário;
Se o bem é dádiva de Deus,
O feito irá para os seus
Registros no prontuário.
Movido pela esperança
Com a fé em movimento,
Na cidadania ativa
Que sempre faz um alento,
Nos livrando do abismo,
Da praga do consumismo
Presente neste momento.
Buscando nos meus lembrados
Um sentimento fecundo,
Por todos discriminados
Que são tantos neste mundo;
Se pudesse, os amparava,
Com muito gosto mudava
Tudo isso num segundo.
Mas por estar nesta teia
Tudo que posso fazer
Pelo bem da humanidade
É dar exemplo e dizer:
Desejo paz para o mundo
No anseio mais profundo
Do homem se refazer.
Que jamais falte nas mesas
Alimento essencial;
Pois partilhar também é
Uma opção divinal.
É isso o que mais almejo
E para todos, desejo,
Sincero FELIZ NATAL!
Autor: PedrO MonteirO

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

SONHO MULTICOR























Sonhar é dom de poeta
Por um mundo horizontal,
É tirar do travesseiro,
Num rito memorial,
As ações libertadoras,
Pelas práticas promotoras
De justiça social!

A paz que queremos ver  
Nas multidões coloridas
Expressa fraternidade
Todas as tribos unidas
Em sublime convivência,
Sendo essa consciência
Orgulho das nossas vidas.

E tanger do nosso meio
O preconceito e tortura,
Fonte de perversidade
Que achincalha a ternura,
Dando um nó em nossa vida,
Faz uma tela florida
Ser a mais tosca pintura.

Democracia é a seta
Nos alinhavos que traça.
Ter respeito às diferenças
De gênero, credo e de raça
É não ser mais mero ouvinte
Da Carta Constituinte,
Quando relida na praça!

PedrO MonteirO





sexta-feira, 29 de agosto de 2014

VIRADA SUSTENTÁVEL 2014












Cordel por um Mundo Melhor | Virada Sustentável

São Paulo tem uma agenda
Que é bastante agradável,
Onde a arte e a cultura
Tem uma presença notável.
Repleta de interação,
Cidadania em ação
Na Virada Sustentável!

Propõe ocupar a mente
Num pensamento maior,
Alcança quem participa
E os que estão ao seu redor,
Com atitude saudável,
A Virada sustentável
Faz uma vida melhor!

É bom observar bem
A um ditado que diz:
“Sorte de quem se comporta
Como um eterno aprendiz,”
Nossa criatividade,
Na sustentabilidade
Faz um povo mais feliz.

Nem todo resíduo é lixo
— Cuidado com o resultado!
Pois reciclagem precisa
Cada item separado.
O zelo cotidiano,
Faz um mundo mais humano
E muito mais preservado!

A coleta seletiva
Deverá proporcionar
Melhor aproveitamento,
Mas para não vacilar,
Todos cestos coletores,
São indicados por cores
Para a gente não errar.

O vidro é sempre no verde,
Jamais o deixe a granel.
O metal no amarelo,
Eu recomendo em cordel.
Cores fazendo parelha,
O plástico, na cor vermelha.
Na cor azul, só o papel.

Que as esferas de governo
Assumam essa empreitada
E a sociedade civil
Tenha atitude engajada.
Evoluindo o que somos,
E, dessa forma, tenhamos
Fauna e flora preservada.

Mobilizar, educar
Com uma ação social,
Para gerar consciência
Frente essa agressão brutal.
Fazendo valer o lema:
— "Preservação é um tema
De valor universal!"


quarta-feira, 23 de julho de 2014

ARIANO SUASSUNA

















A cultura popular
Tem hoje grande lacuna,
Pois a morte impiedosa,
Uma perversa gatuna,
Entre cristãos e ateus,
Desta vez levou pra Deus
Ariano Suassuna.



PedrO MonteirO

quarta-feira, 14 de maio de 2014

GRITO ECOANTE


Numa flor se faz presente
um encanto divinal,
da vida o grande sinal
quebrando nó e corrente,
qual o enigma da semente
germina e enche um balaio,
galopa cavalo baio
no front revolução
— É grito de abolição,
num sempre treze de maio!



O SENTIDO DA FLOR!

Maio, o mês de Maria,
mãe o sentido da flor,
esse divinal teor
tem flama de poesia;
a fonte desse energia
deságua no coração,
ser mãe é ser emoção,
amor e pertencimento,
cuidado a todo momento
com infinita paixão!

PedrO MonteirO

domingo, 9 de março de 2014

CAIPORA URBANO

Defendo o meio ambiente, 
Pois eu sou um ajuizado,
Somente um estrambelhado 
Pode ser indiferente!
Não estou nessa corrente
Só para fazer bravata,
O nó da minha gravata
Tem relva, tem sutileza,
São prantos da natureza
Banhando a face da mata.



PedrO MonteirO

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

SÃO PAULO MULTICOR




SÃO PAULO MULTICOR - MILTON JUNG






Minha São Paulo querida
Berço da desenvoltura,
Alavancando o progresso
De renomada estatura,
Na meiguice ou na crueza,
Sua imponente beleza
Tem diversão e cultura.

Quando um imigrante deixa
Para trás a sua terra,
Seus costumes, sua gente,
Seja na paz ou na guerra,
Na tristeza ou na alegria,
São Paulo é a garantia
De quem mirando não erra.

Cada migrante que chega
Trazendo seu predicado,
Ajuda na construção
Desse importante legado,
Com essa atitude boa,
Hoje a terra da garoa
Tornou-se berço afamado.

Entre adotivos e natos
Ela não faz distinção;
Valoriza a quem batalha
Ganhando honesto o seu pão,
Quem vai à luta, ela ampara;
Quem não vai, ela equipara
A os caídos no chão.

Beijo a face multicor
Dessa torre de babel,
Para o seu aniversário
Quero pintar um painel
Com as cores da emoção,
Gravadas no coração
Nestes versos de cordel.

Autor: PedrO MonteirO

POEMA DECLAMADO POR MILTON JUNG DA RÁDIO CBN - SP
https://miltonjung.com.br/2016/01/09/conte-sua-historia-de-sao-paulo-o-cordel-da-cidade-multicolorida/SÃO PAULO MULTICOR - MILTON JUNG

RÁDIO BRASIL ATUAL

domingo, 8 de abril de 2012

PÁSCOA FRATERNAL

PÁSCOA SOLIDÁRIA
A Páscoa foi no passado
Motivação de alegria,
Celebração da colheita,
Milagre e sabedoria,
Assim, recomenda os versos
Traçados nesta poesia.

Com a Terra em grande festa,
Todo Universo cantava
Louvor a um tempo novo,
Pois a fome definhava.
Ouvia-se: — glória a Deus!
— O povo alegre saudava.

E por isso, festeja agora,
Mas faça a reflexão...
Constrói um mundo melhor
Quem estende a sua mão,
Nutrindo benevolência
Dentro do seu coração.


PedrO MonteirO

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

CRIANÇA CIDADÃ














Quem disse que sou pequeno
Só por que sou uma criança?
Sou o futuro do mundo,
Da paz e da esperança!
E por todas essas apostas
Carrego nas minhas costas
O lume da confiança.

Mas, para que assim seja,
Não posso facilitar!
Preciso dos meus direitos:
Estudo, amor, pão e lar,
Saúde, paz e alegria,
Nutrindo sabedoria
E lindo brilho no olhar.

E assim serei um adulto
De pensamento fecundo,
Olharei os pequeninos
Com sentimento profundo!
Na solidariedade
Semearei igualdade,
Justiça e paz para o mundo.


*por PedrO MonteirO            

sexta-feira, 4 de março de 2011

ATITUDE!


















Igualdade de direitos
Não é conversa qualquer.
Frente a esta discussão
Eu quero pôr a colher,
Temperando com poesia,
No sabor da energia
Que emana da mulher.

Dizendo um sim pela vida,
Com o braço erguido na luta,
Sua bandeira propõe
Igualdade absoluta.
No atiçar dessa lenha,
Inteligência é a senha
Nessa engajada conduta.

A nossa cultura tem
Conceitos ultrapassados,
Por vez a mulher se acha
Com seus direitos negados,
Não por sua competência,
Mas, vítima da negligência
De setores retardados.

Por isso mesmo eu prefiro
Ficar do lado de quem
Na luta por igualdade
Não discrimina ninguém,
Revê o seu prejuízo,
Mas faz o melhor juízo
Dando valor a quem tem.

Assim, coloco meu traço
Ao lado de quem trabalha,
Construindo um novo tempo,
Desafiando a navalha.
Que o dragão se contenha,
Pois as Marias da Penha
Não fogem dessa batalha.


PedrO MonteirO


quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

TATEANDO SAUDADES




O milho colhido verde
Tem o sabor natural,
Presente da natureza
No plantio do quintal,
Sara qualquer estressado,
É um voltar ao passado
De um jeito fenomenal.