EJA: um caminho para a cidadania











EJA é uma porta aberta
Para inclusão social,
A nossa modernidade
Só vê referencial,
Em quem tem conhecimento
E notório suplemento
Na parte intelectual.

Alguém que ainda não faz
Das letras combinação,
Aplicando dia a dia
Sua comunicação;
Não vê o mundo real,
Tem o olhar desigual
Por falta de interação.

O letramento é o sal
Da mente desenvolvida,
Rompendo os nós e os estorvos
Acumulados na vida;
É o Sol do alvorecer,
Pelos desejos de ver
Essa cegueira abolida.
  
Por isso é recomendável
Para o jovem ou o adulto,
Se ainda analfabeto,
Considerado um estulto,
A EJA será a saída,
O carimbo que valida,
Dessa sentença, o indulto.

É como se nos abrissem
Os olhos para enxergar,
Um jardim pela janela,
Raios de sol a brilhar,
Sem seguir passos medonhos,
Mas alimentando sonhos
De um novo tempo chegar.

E assim vou me despedindo
Revigorado e contente,
Apreciei vários rostos,
Com um olhar sorridente,
Decerto, já devem ter
Bom gosto no aprender
Ver o mundo diferente!

Comentários

Rosário Pinto disse…
Querido poeta!
Que beleza! Seu poema é tão importante, que me atrevo a compartilhar,
bjs,
rosário pinto
P.S.: Venha compor a Ciranda de Natal conosco no Cordel de Saia.

Essa é a pura verdade.
Não devemos ocultar,
O saber adquirido,
Que devemos repassar
Todo cidadão merece
Desfrutar dessa benesse
Vou com você partilhar"
Pedro Monteiro disse…
Rosário pra mim é elo
Uma mulher de ação.
Segue a sua trajetória
Sempre estendendo a mão
Cheinha de experiência,
Com a maior sapiência
De quem faz boa lição.

AlinhavoS de PedrO MonteirO

A VOLTA AO MUNDO EM OITENTA DIAS, VERSÃO EM CORDEL (Coleção clássicos em cordel).

SÃO PAULO EM CORDEL

JOÃO GRILO, UM PRESEPEIRO NO PALÁCIO