domingo, 14 de março de 2010

O TEAR















Eu quero que você ouça
O que tenho a lhe falar
Desta teia que tecemos
Num dadivoso tear,
Faça favor ouvir tudo
E só depois decifrar.

Tire da sua algibeira
Muita determinação
Para repuxar os fios
Do saber e da boa ação,
Candeia do pensamento,
Um leme de evolução.

Este tear é a vida
Urdindo o seu pelejar.
Somos os fios trazidos
Pelas Ondinas do mar,
Num teimoso vai e vem,
Sem jamais desanimar.

PedrO  MonteirO